Convenção internacional restringe venda de elefantes africanos para viver em cativeiro

Convenção internacional restringe venda de elefantes africanos para viver em cativeiro

Texto foi adotado em sessão plenária da Convenção sobre Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas da Fauna e Flora Selvagens (CITES). Debate entre os países que apoiam essa medida e os que se opõem foi acalorado.

A Convenção sobre Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas da Fauna e Flora Selvagens (CITES) adotou nesta terça-feira (27) um texto restringindo severamente a captura de elefantes africanos para colocá-los em cativeiro, como no caso de zoológicos.

Especificamente, votou-se para limitar o comércio de elefantes africanos selvagens vivos, que devem viver apenas em seus habitats naturais.

Trata-se, basicamente, de encerrar a prática de capturar elefantes e enviá-los para zoológicos e locais de entretenimento em todo mundo.

Este texto foi adotado em sessão plenária da Convenção, após ser emendado pela União Europeia (UE) e depois de passar por debates acalorados entre os países que apoiam essa medida e os que se opõem, como o Zimbábue, em particular.

Dez elefantes do acampamento de Ayutthaya marcham em procissão perto do Grande Palácio para celebrar a coroação do rei tailandês Maha Vajiralongkorn em Bangkok, na Tailândia — Foto: Soe Zeya Tun/Reuters

Com 87 votos a favor, 29 contra e 25 abstenções, o texto alterado conseguiu a maioria de dois terços necessária para ser aprovado. A votação no plenário alterou levemente uma decisão tomada no início da conferência de 12 dias (prevista para terminar na quarta-feira, 28), que proibia a transferência de elefantes africanos selvagens capturados para as chamadas instalações de cativeiro.

Brasil faz parte da convenção

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente do Brasil, a CITES tem por objetivo “controlar o comércio internacional de fauna e flora silvestres, exercendo controle e fiscalização especialmente quanto ao comércio de espécies ameaçadas, suas partes e derivados, com base num sistema de licenças e certificados”.

O acordo original foi assinado em 1973, em Washington, nos Estados Unidos, e entrou em vigor em 1975. Envolve mais de 130 países, incluindo o Brasil, que o ratificou em novembro de 1975. A Convenção protege cerca de 30 mil espécies de fauna e flora selvagens.

Por France Presse

FONTE: https://g1.globo.com/mundo/noticia/2019/08/27/convencao-internacional-restringe-venda-de-elefantes-para-viver-em-cativeiro.ghtml