Campanha vai conscientizar sobre população em situação de rua do município

Campanha vai conscientizar sobre população em situação de rua do município

Com o tema “Não Dê Esmola. Dê uma nova chance”, a Prefeitura de Aracruz, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social e Trabalho (SEMDS) e Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), vai promover uma campanha de sensibilização em relação a população em situação de rua. O objetivo da campanha é conscientizar cidadãos e construir um projeto que possibilite a saída das ruas e o resgate da cidadania desse público.

De 26 a 31 de agosto, a equipa da SEMDS vai estar nas ruas orientando sobre como proceder com população em situação de rua e de como o serviço de Abordagem Social do município de Aracruz é executado pelo Centro de Referência Especializado de Assistencia Social – CREAS.

“Apesar do conforto provisório, a esmola não ataca as causas do problema e não leva em conta as histórias e motivação de cada um. Pelo contrário, tem contribuído para a aquisição de drogas e bebidas, efetivando sua permanência nas ruas”, explicou a secretária de Desenvolvimento Social e Trabalho, Rosilene Felipe dos Santos Matos.

Abordagem Social
O mapeamento da população de rua do município de Aracruz é realizado pela equipe de Abordagem Social do CREAS que, periodicamente, visita os locais que se concentram essas pessoas. Na abordagem é feito o cadastro da pessoa, com intuito de identificar o lugar veio e porque está na rua.

A Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais, de 2009, explica melhor os objetivos da Abordagem Social: “constitui-se em processo de trabalho planejado de aproximação, escuta qualificada e construção de vínculos de confiança de pessoas e famílias em situação de risco pessoal e social nos espaços públicos para atender, acompanhar e mediar acesso à rede de proteção social.”

Serviços à população em situação de rua

1 – Direcionamento para as políticas cabíveis, como: 
– Saúde: Para tratamento clínico e/ou internação;

– Habitação: Para moradia digna tendo em vista que se trata de publico que não dispõe de moradia convencional;

– Cultura: Para conhecimento a arte, crenças, como também fazer parte de uma sociedade da qual é membro;

– Educação: Como um dos meios necessários à efetivação do princípio da dignidade da pessoa, aumentando as chances de inserção no mercado de trabalho; E demais políticas públicas que necessitarem de direcionamentos.

2 – Orientações de higiene, principalmente no âmbito do acúmulo de lixo, restos de alimentos, permanência de animais, roupas sujas e entulhos na região em que ficam, e também sobre a manutenção da limpeza dos locais de permanência, que é responsabilidade da Postura Municipal em parceria com o CREAS.

3 – Encaminhamento do migrante à sua cidade de origem, com concessões de passagem intermunicipal e interestadual.

4 – Acesso a documentação para regularização ou emissão de documentos pessoais, e em alguns casos para a Delegacia de Polícia Civil para emissão de Boletim Unificado.

FONTE: http://www.aracruz.es.gov.br/noticia/87599/