CCZ de Aracruz poderá sediar abrigamento de animais doentes por meio de cooperação técnica entre municípios

CCZ de Aracruz poderá sediar abrigamento de animais doentes por meio de cooperação técnica entre municípios

O prefeito Jones Cavaglieri, na companhia da Secretária de Saúde Clenir Avanza, recebeu em seu Gabinete, na manhã desta quarta-feira (07/08), os prefeitos Pretinho Nunes (Fundão), Eduardo Marozzi Zanotti (Ibiraçu) e Paulo Márcio Leite Ribeiro (Água Doce do Norte), além do Presidente do Consórcio Público da Região Noroeste, Paulo Márcio Leite Ribeiro, do Diretor Executivo do Cim Noroeste Marlos Bergani e da Diretora Executiva do Cim Polinorte, Maratti Croce, para tratar de assuntos relacionados aos problemas de aumento populacional de animais como cães nas ruas das cidades.

“Há alguns dias, nós associados, que engloba o interesse de 15 municípios, entramos em contato com a Secretária Clenir para relatar nossos problemas, que são os animais soltos nas ruas. Por isso estamos buscamos uma solução rápida, mesmo porque o Ministério Público está nos cobrando. Em função disso, os municípios entraram em comum acordo para procurar um Centro que já esteja funcionando e fechar um convênio, uma parceria para trabalharmos junto”, explica Pretinho Nunes, prefeito de Fundão.

Entre as propostas levantadas na reunião, o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Aracruz, por ter uma grande estrutura, abrigaria as demandas das demais cidades, após as análises jurídicas, financeiras e buscas de recursos. “Aracruz tem um espaço muito bom e que pode ser ampliado. Por isso a gente tem o intuito de fechar essa parceria para conseguir juntar recursos e poder atender todas as demandas, além de facilitar o custeio do CCZ e tentar resolver esse problema que é rotineiro de todos nós”, completa Pretinho Nunes.

O prefeito Jones Cavaglieri afirmou que já tinha conhecimento do assunto, e que o espaço do CCZ pode ser adaptado para receber essas demandas. “Nossa secretária de Saúde nos trouxe essa demanda. Temos um espaço grande, e que de uma certa forma, se encontra ocioso, pois no passado era feito o recolhimento de animais de rua. Porém, com a proibição da eutanásia, eles não estão sendo mais recolhidos, mesmo porque nós não podemos mantê-los lá, a não ser que eles estejam considerados ameça à população por estarem doentes”, explica o prefeito.

A castração e o recurso do SUS
Os recursos que os municípios recebem do SUS são destinados ao controle das doenças, e para castração de cães e gatos, existe uma Lei Federal que garante determinada porcentagem de controle da população animal. Já o controle das zoonoses, de acordo com a Diretora Executiva do Cim Polinorte, Maratti Croce, isto não ocorre na maior parte dos municípios. “Grande parte dessas cidades não tem esse controle, por isso já poderíamos estar fechando com Aracruz um convênio de ajuda para descobrir o que fazer com cada animal doente”, comenta.

Abrigamento e o controle da população animal
A Secretária de Saúde Clenir Avanza enfatizou que os municípios têm que se unir e estuar formas de controlar a reprodução animal, mesmo porquê não há como abrigar animais de rua que não estejam doentes no CCZ. “Esse controle populacional tem que ser feito em todas as cidades, primeiro porque eles se reproduzem rapidamente, segundo porque não podemos pegar qualquer um que esteja nas ruas, pois somente aqueles que são encaminhados à Zoonoses podem ser castrados e devolvidos aos donos”, diz.

Clenir ainda afirmou que estudará uma política de controle. “Temos uma grande área da prefeitura, murada e já destinada ao CCZ, o que dá para fazer um abrigamento dentro de uma política de castração, porém somente o abrigamento não resolveria nossos problemas. Podemos fazer um projeto conjunto, determinando a responsabilidade de cada cidade envolvida, e eu me comprometo em ajudar e orientar para dar celeridade a isto, mesmo porque o próprio consórcio pode adequar as condições do espaço”, completa a secretária.

Todos os participantes da reunião concordaram com a ideia de se elaborar esse projeto para determinar as especificidades de cada um no controle da Zoonoses, com estabelecimento de um prazo. Após a reunião o grupo ainda visitou as estruturas e instalações do Centro de Hemodiálise e da Farmácia Cidadã de Aracruz.

TEXTO: Renato Lana
E-MAIL: rfaria@aracruz.es.gov.br

FONTE: http://www.pma.es.gov.br/noticia/87544/